terça-feira, 26 de maio de 2009

O menino que olhava livros e patos...


Há anos frequenta a Universidade ziguezagueando por entre cursos sem concluir nenhum. Circula quase que diariamente na Biblioteca, seu ambiente preferido, embora sua permanência seja considerada momentânea e intempestiva. Sonda o ambiente, absorve o aroma dos livros, conversa rapidamente com alguns funcionários, já seus velhos conhecidos e, desaparece. Guarda em seus pensamentos livros e pessoas. Confessou num momento de deslize ter o desejo de colecionar alguns títulos da Biblioteca em sua residência, se assim houvesse oportunidade, porém o pouco de bom senso que lhe restou não o permitiu ir à frente com tal intento. Muitas vezes chegamos a indagar: o que tanto ele procura insistentemente na Biblioteca que não está nos acervos comuns nem nas coleções especias.... será uma obra rara? um desejo contido? acolhimento? atenção? uma pessoa especial? Não sabemos, mas ele continua sua busca como um aventureiro em busca de um tesouro sem a indicação do mapa. Esse jovem de aparência esquálida, pele parda, olhar multifacetado e que transita por entre patos e livros talvez não perceba que sua insanidade já faz parte de nós, habitando-nos e se revelando em flashes, como se algo falhasse, como se algo nos faltasse. Livros e patos também nos ajudam a filosofar. Insana lição!

Ariel Macorle.

3 comentários:

  1. Esse jornal vai longe!... e esse usário também...

    Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela grande observação,faltou apenas um detalhe a sua cor preferida.....

    ResponderExcluir
  3. Acho que sei quem é esse menino...

    ResponderExcluir